|

O gerenciamento de risco no transporte é primordial para afastar potenciais ameaças e assegurar a eficiência operacional da gestão de frotas.

Isso envolve entender os cenários e a adoção de sistemas e ferramentas eficientes, como a implementação de um Plano de Gerenciamento de Riscos (PGR) e a utilização da tecnologia para aprimorar os processos.

Neste guia completo de gerenciamento de risco no transporte você tem acesso às principais práticas para garantir segurança e eficiência, assim como colocar essas ações em prática. Confira o conteúdo e boa leitura!

Principais riscos do transporte de cargas

O transporte rodoviário de carga é responsável pelo escoamento de grande parte da produção industrial no país. Mas, como fazer a gestão de riscos do transporte de forma eficaz?

Apesar de sua significativa participação, as rodovias no Brasil apresentam desafios para as operações logísticas, incluindo:

  • A qualidade das estradas;
  • A falta de treinamento dos condutores;
  • A ausência de planejamento prévio das viagens.

Esses fatores, juntamente com custos elevados de manutenção, destacam os principais riscos do transporte de cargas.

A seguir, você confere os principais perigos envolvidos no transporte de cargas e a importância de adotar medidas para minimizá-los.

Veículos em manutenção

O eficiente gerenciamento e controle da frota demanda uma gestão rigorosa da manutenção.

Isso se deve ao fato de que o veículo em manutenção fica inoperante, o que pode comprometer o êxito das operações, resultando em atrasos nas entregas e diminuição da produtividade.

Avarias, extravios e roubo de carga

O roubo de carga continua sendo uma preocupação significativa para as empresas de transporte, como evidenciado pelos dados.

Somente no estado do Rio de Janeiro em 2022, esse problema resultou em um prejuízo de R$ 388 milhões. Em média, ocorrem cerca de 12 roubos de carga por dia na região carioca.

Além disso, as avarias de carga e extravio de carga representam desafios adicionais para as transportadoras, resultando em perdas financeiras e impactos na reputação do negócio.

Multas e apreensões

As multas de veículos, bem como as apreensões, têm impacto significativo no orçamento operacional e no prazo de entrega das mercadorias.

Portanto, é crucial manter a documentação em ordem e aderir às normas de trânsito, evitando comportamentos imprudentes e negligência por parte dos colaboradores.

Sinistros

Além de assegurar que o motorista cumpra as regulamentações de trânsito, é importante enfatizar a importância da direção segura a fim de evitar o sinistro de veículos.

Isso ocorre porque acidentes representam uma ameaça à segurança do colaborador, à carga transportada e a outros usuários da via.

Prevenção de Acidentes: Tendências nos programas de prevenção

Como fazer o gerenciamento de riscos eficaz?

Para saber como fazer um gerenciamento de riscos eficaz, você deve identificar e avaliar todas as possíveis ameaças e vulnerabilidades que podem impactar uma operação, considerando fatores externos e internos.

Após a identificação, é hora de quantificar e priorizar os riscos com base em sua probabilidade de ocorrência e impacto.

A próxima etapa envolve o desenvolvimento de estratégias de mitigação, que podem incluir:

  • Medidas preventivas;
  • Transferência de riscos por meio de seguros;
  • A criação de planos de contingência.

Os investimentos contínuos no ambiente operacional são fundamentais, permitindo ajustes nas estratégias de gerenciamento de risco no transporte conforme necessário.

Quais áreas do transporte são impactadas por um gerenciamento de riscos eficaz?

Um gerenciamento de riscos eficaz tem implicações significativas em diversas áreas do transporte.

Em primeiro lugar, a segurança operacional é fortemente beneficiada, já que a identificação e mitigação de riscos contribuem para a prevenção de acidentes e incidentes.

Isso não apenas protege a integridade dos motoristas, passageiros e cargas, mas também fortalece a reputação da empresa no setor.

Além disso, a eficácia do gerenciamento de riscos se estende às operações logísticas e à cadeia de suprimentos.
Ao antecipar e abordar possíveis contratempos, como atrasos, roubos de carga e falhas nos processos, as empresas podem otimizar a eficiência, reduzir custos e melhorar a satisfação do cliente.

Quais resultados um gerenciamento de riscos eficaz pode trazer para minha empresa?

Ao conduzir uma gestão eficiente das situações durante o trajeto e adotar medidas preventivas, é viável identificar e atenuar os riscos presentes em todas as fases do transporte de mercadorias, mantendo a eficácia dos processos logísticos.

Assim, percebe-se que um gerenciamento de riscos eficaz traz benefícios como:

  • Redução de custos e prejuízos;
  • Aprimoramento dos resultados;
  • Minimização de danos decorrentes de atrasos;
  • Mitigação de falhas na entrega;
  • Diminuição de ocorrências de danos à carga e sinistros;
  • Prevenção de viagens mal planejadas;
  • Minimização de acidentes;
  • Redução do número de multas;
  • Controle da manutenção da frota e;
  • Melhoria na qualificação dos profissionais.

Quais as etapas do gerenciamento de risco

Quando o assunto são as etapas do gerenciamento de risco, é importante contar com uma equipe qualificada. Isso porque competências técnicas e comportamentais serão necessárias para a boa condução dos processos.

O passo seguinte é identificar de onde partem os riscos, que precisam ser minuciosamente identificados, analisados, avaliados e tratados de maneira apropriada.

Além disso, é fundamental contar com a ajuda da tecnologia. A aplicação desses recursos é recomendada para:

  • Organizar o fluxo de informações e responsabilidades internas;
  • Monitorar motoristas e cargas por meio de rotas seguras;
  • Acompanhar o processo de entrega de mercadorias;
  • Coletar feedback dos clientes.

Assim, ao investir em tecnologia para as operações de transporte de carga, a sua equipe consegue reduzir de forma significativa a perspectiva de riscos.

Por último, mas não menos importante, é preciso promover boas condições de trabalho, respeitando o período de descanso do motorista e condições dignas de trabalho.

Plano de Gestão de Risco

O Plano de Gestão de Risco ou Programa de Gerenciamento de riscos (PGR) é um conjunto de diretrizes que visa proporcionar uma operação mais segura para empresas de transporte e logística.

Ele envolve o mapeamento e análise dos riscos associados a cada tipo de operação, permitindo o desenvolvimento de estratégias preventivas e mitigadoras.

Utilizando tecnologia e uma equipe especializada em campo, o PGR não apenas identifica potenciais riscos, mas também monitora e estabelece planos de ação para gerenciar incidentes e diminuir os erros na operação.

Como fazer um bom plano de gestão de risco

Para elaborar um plano de gerenciamento de riscos eficaz no transporte de carga, o primeiro passo é realizar uma avaliação abrangente dos riscos associados a cada etapa da operação logística. Isso inclui identificar possíveis ameaças, como:

  • Roubos;
  • Acidentes;
  • Avarias;
  • Atrasos e outros eventos adversos.

Uma análise aprofundada permite priorizar os riscos com base em sua probabilidade de ocorrência e no impacto potencial sobre a operação.

Em seguida, é crucial desenvolver estratégias específicas para prevenir e mitigar esses riscos.

Isso pode envolver a implementação de medidas de segurança, treinamento adequado para motoristas, uso de tecnologia para monitoramento em tempo real, parcerias com empresas de segurança, entre outras ações.

A revisão periódica do plano de gerenciamento de riscos, considerando mudanças nas condições operacionais e na legislação, assegura a adaptabilidade do plano ao ambiente dinâmico do transporte de carga.

Confira aqui o nosso material completo sobre como fazer um plano de gestão de riscos com eficiência e o papel da gerenciadora de riscos para auxiliar nesse processo.

Gestão de risco ligada à saúde do negócio

A gestão de risco está relacionada de forma direta à saúde do negócio, pois visa identificar, avaliar e mitigar potenciais ameaças que podem impactar o sucesso e a continuidade das operações.

Ao antecipar e abordar riscos, desde questões operacionais até fatores externos como regulamentações e condições de mercado, a organização se posiciona para evitar prejuízos financeiros, interrupções nas atividades e danos à reputação.

Um eficiente gerenciamento de risco não apenas protege os ativos e recursos da empresa, mas também contribui para a tomada de decisões mais estratégicas e acertadas, promovendo a resiliência e a sustentabilidade do negócio diante de desafios e incertezas.

Papel da Gerenciadora de Risco

O papel da Gerenciadora de Risco é oferecer ao cliente acesso à expertise, inteligência e tecnologia essenciais para prevenir incidentes e reduzir os riscos de prejuízos nas operações.

Além de definir rotas seguras, horários e pontos de parada, a gerenciadora também desempenha um papel fundamental no:

  • Monitoramento em tempo real das frotas;
  • Prevenção de acidentes ;
  • Implementação de estratégias para mitigar possíveis adversidades que poderiam impactar negativamente a viagem e a entrega.

Isso inclui procedimentos como Cadastro de motoristas, comunicação em tempo real com a equipe, sistemas de confirmação de entrega, dentre outros.

Principais desafios do transporte de cargas

Um dos principais desafios do transporte de cargas é a infraestrutura de transporte inadequada, com rodovias em estado precário.

Essa situação resulta em atrasos, aumenta os custos operacionais e contribui para a deterioração dos veículos.

Além disso, a extensa dimensão geográfica do país e a falta de integração entre os diferentes modais de transporte dificultam a movimentação eficiente de mercadorias, especialmente em regiões mais remotas.

Outro desafio relevante é a questão da segurança, com o Brasil enfrentando altos índices de roubo de carga. Apenas no primeiro semestre de 2023, o país já tinha registrado cerca de 17 mil roubos de carga. Segundo dados do documento “Brasil: Relatório Trimestral de Roubo de Carga”, elaborado pelo Centro de Inteligência da Overhaul.

Isso gera prejuízos expressivos para as empresas de transporte, aumenta os custos de seguros e demanda a implementação de medidas específicas para mitigar riscos.

Boas práticas para um bom gerenciamento de riscos no transporte

Ao adotar boas práticas no gerenciamento de risco no transporte, as empresas podem identificar, avaliar e mitigar os riscos associados ao transporte de cargas.

Isso envolve desde a seleção criteriosa de motoristas e a manutenção adequada da frota, até a utilização de tecnologias avançadas para monitoramento em tempo real, permitindo uma resposta imediata a eventos adversos.
Ao seguir boas práticas, as organizações não apenas protegem seus ativos e reputação, mas também:

  • Promovem a conformidade com regulamentações;
  • Reduzem custos operacionais;
  • Melhoram a satisfação do cliente, contribuindo para a sustentabilidade e sucesso a longo prazo no setor de transporte.

Confira a seguir algumas boas práticas no gerenciamento de riscos no transporte para você colocar em prática na sua empresa!

Checklist de veículos

A implementação de um checklist rigoroso para veículos é fundamental, assegurando que a frota esteja em condições adequadas de operação.

Esse procedimento regular de verificação contribui para prevenir falhas mecânicas, reduzir o risco de acidentes e garantir a segurança durante as viagens.

Rastreamento e monitoramento

Utilizar sistemas avançados de rastreamento e monitoramento permite o acompanhamento contínuo da frota, a identificação de desvios de rota e a detecção imediata de eventos adversos, possibilitando respostas rápidas para minimizar impactos negativos.

Seguro de carga

A contratação de um seguro de carga adequado é uma prática indispensável no gerenciamento de riscos.
Esse mecanismo oferece proteção financeira contra perdas decorrentes de roubo, danos ou outros incidentes durante o transporte, promovendo segurança e mitigando prejuízos.

Cadastro de motoristas

Com o Cadastro de motoristas, a busca do motorista ideal para transportar as cargas de maneira ágil e eficiente.

Com os recursos da solução, as cargas são liberadas de forma rápida, elevando a qualidade da análise de motoristas e veículos com inteligência artificial e metodologia exclusiva.

Ferramentas tecnológicas

Sistemas automatizados de análise de dados, ferramentas tecnológicas, inteligência artificial e outras soluções facilitam a identificação e mitigação de riscos, proporcionando eficiência e segurança nas operações de transporte.

Central de Gerenciamento de Risco

A Central de Gerenciamento de Risco no transporte desempenha um papel crucial no setor de transporte, atuando como um centro estratégico para monitorar e mitigar riscos associados às operações logísticas.

Essa central utiliza tecnologias avançadas, como rastreamento em tempo real e análise de dados para acompanhar a movimentação da frota. Dessa forma, é possível:

  • Identificar desvios de rota;
  • Prever possíveis incidentes e;
  • Coordenar respostas imediatas a eventos adversos.

Pilares estruturais das operações

As operações de transporte que incorporam o gerenciamento de riscos dependem de três pilares estruturais fundamentais para garantir eficiência, segurança e integridade.

O primeiro pilar foca na implementação de protocolos rigorosos para veículos, um Cadastro de motoristas detalhado e a atenção às pessoas, visando assegurar a qualidade e segurança da frota.

O segundo pilar destaca a importância da integração de tecnologias avançadas, como rastreamento em tempo real e ferramentas analíticas para monitoramento contínuo, identificação precoce de riscos e respostas rápidas a eventos adversos.

O terceiro pilar concentra-se na otimização de processos, onde a centralização e análise de dados contribuem para decisões informadas, enquanto práticas efetivas de seguro de carga reforçam a resiliência financeira diante de percalços.

Em conjunto, esses pilares formam a base essencial para operações de transporte seguras, eficientes e resilientes, destacando a importância crucial do gerenciamento de riscos na logística moderna.

Resultados de valor nos dados

Os dados desempenham o papel crucial de criar informações e gerar conhecimento, embasando as decisões dos gestores de frota.

Além disso, os dados podem fazer com que os processos sejam aprimorados, elevando a qualidade do serviço e a lucratividade da empresa.

Integrador de Terceira Geração

O Integrador de Terceira Geração se refere a uma evolução avançada de sistemas ou tecnologias de integração, representando uma solução eficiente para o transporte de cargas para mitigar perdas e roubos.

Para promover uma melhoria contínua nos processos e aumentar a segurança no transporte de carga, é essencial investir em um conjunto de soluções que se apoie em três pilares fundamentais.

Esses alicerces incluem:

  • O aspecto humano, com ênfase na gestão de campo e central;
  • A inteligência, que se traduz na investigação detalhada dos cenários;
  • A tecnologia para o desenvolvimento de softwares e a implementação de inovações.

Essa abordagem tríplice busca fornecer recursos para lidar com os desafios de segurança nas estradas, ao mesmo tempo em que impulsiona a otimização constante dos processos.

Conceito do integrador de terceira geração

Diante do aumento significativo de roubos e acidentes na distribuição de cargas no Brasil, empresas de gerenciamento de riscos, como a OpenTech, buscam reinventar suas soluções e processos para enfrentar essas ocorrências com maior eficiência e eficácia.

Nesse cenário, as centrais de monitoramento e suas soluções integradas são fundamentais para dar mais agilidade, precisão e segurança ao transporte de carga.

Diferenciais do sistema aos operadores

O OpenRastrear é um produto desenvolvido para reformular a operação interna, introduzindo o conceito de gamificação e estabelecendo uma estrutura sistêmica robusta que centraliza procedimentos e automatiza processos.

Seu propósito é intervir com rapidez nas áreas de prevenção, investigação e recuperação de cargas.

Gerenciamento de Risco a favor do equilíbrio ambiental

Quando o assunto é gerenciamento de risco a favor do equilíbrio ambiental, as implicações ecológicas e financeiras decorrentes de sinistros no transporte são preocupantes.

Isso acentua a responsabilidade das Gerenciadoras de Riscos no compromisso com a prevenção para garantir a eficácia operacional, mas levando em consideração a redução de custos e recursos.

Por isso, destacam-se as ações em logística reversa, sistemas como telemetria para monitorar a boa conduta e entender a redução de combustível, assim como evitar erros de logística para economizar recursos, garantindo a sustentabilidade da operação.

A OpenTech destaca a relevância da gestão de riscos como medida preventiva, destacando suas soluções, como o Programa de Prevenção de Acidentes (Open PPA).

Entenda a importância da gestão da escolta de carga

A importância da gestão da escolta de carga, além de inibir a ação de criminosos, também contribui para a proteção das mercadorias durante o transporte.

Ao estabelecer rotas seguras, manter comunicação eficiente com as autoridades e adotar estratégias preventivas, a gestão da escolta não apenas protege a carga, mas também garante a segurança dos motoristas e contribui para a manutenção da confiança dos clientes e parceiros comerciais.

Gerenciamento de risco aos operadores logísticos

O gerenciamento de risco aos operadores logísticos permite a identificação antecipada de potenciais incidentes com a carga, possibilitando a implementação de medidas preventivas.

O gerenciamento de risco também contribui para o cumprimento de regulamentações e normas, reduzindo riscos legais.

Em última análise, ao integrar efetivamente o gerenciamento de risco em suas práticas, os operadores logísticos podem ter uma visão completa da operação, otimizando a segurança, minimizando perdas e atrasos nas entregas.

Normas para transporte de carga

Diversos órgãos reguladores, como a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), estabelecem normativas que abrangem desde o dimensionamento adequado dos veículos até a documentação exigida para o transporte de carga.

Além disso, normas específicas tratam da segurança viária, condições de trabalho dos motoristas, limites de carga e prazos de entrega.

O cumprimento dessas regras é essencial para assegurar a qualidade e conformidade das operações de transporte de carga, contribuindo para a eficácia do setor logístico e a segurança das vias públicas.

Cuidados no transporte de medicamentos

O transporte de medicamentos demanda cuidados específicos para garantir a integridade e eficácia dos produtos.

É essencial observar as condições de temperatura, evitando variações extremas que possam comprometer a qualidade dos medicamentos. Além disso, deve-se ter o cuidado com a embalagem, protegendo os produtos de impactos e garantindo a estabilidade durante o transporte.

Confira mais a seguir os principais cuidados na hora de transportar medicamentos, evitando a perda ou avaria da carga.

Transporte de medicamentos

O transporte de medicamentos no país enfrenta desafios logísticos, incluindo a infraestrutura precária nas rodovias e a necessidade de cuidados especiais, como refrigeração.

Superar esses obstáculos no transporte rodoviário de medicamentos é crucial, e contar com gerenciadoras de risco especializadas para desenvolver planos de gerenciamento de risco no transporte específicos é fundamental.

Confira a seguir algumas soluções para garantir a segurança e eficiência da operação no transporte de medicamentos.

Regras da escolta de cargas

No transporte de medicamentos, é essencial personalizar o plano de gerenciamento de risco no transporte para cada tipo de operação, assegurando eficiência logística, prevenção de sinistros e minimização de prejuízos.

O transporte inadequado pode resultar em danos à mercadoria, sendo que alguns fármacos têm seus princípios ativos comprometidos se movimentados de maneira inadequada ou em condições impróprias.

Em situações em que a refrigeração é uma exigência, tornando a operação mais complexa devido ao risco de prejudicar a qualidade do produto, é fundamental contar com gerenciadoras de risco especializadas no monitoramento de transportes dessa natureza.

Vantagens na escolta de gerenciamento de riscos

A escolta no gerenciamento de riscos proporciona vantagens cruciais, isso porque além de todos os cuidados por ser uma carga sensível, também tende a ser produtos de custo elevado. Portanto, ao contar com a escolta, a sua equipe conta as seguintes vantagens:

  • Dissuasão de crimes;
  • Proteção da carga;
  • Cumprimento de prazos;
  • Adoção de rotas seguras.

Essa prática não apenas resguarda as operações logísticas, mas também promove a confiança dos clientes, sendo essencial para enfrentar desafios e garantir a eficácia das atividades logísticas.

Conheça também o nosso E-book onde você encontra um guia completo para garantir segurança no transporte de medicamentos.

Transporte de frigorificados

O transporte de frigorificados é realizado por meio de caminhões equipados com sistemas de refrigeração, que mantêm temperaturas específicas para preservar a qualidade de produtos perecíveis.

Esses veículos seguem regulamentações rigorosas, monitorando de forma constante a temperatura do compartimento de carga e ajustando conforme as exigências da carga, abrangendo desde alimentos até produtos farmacêuticos sensíveis à temperatura.

Esse cuidado assegura o cumprimento de padrões de qualidade, regulamentações e a segurança dos consumidores finais.

Medidas necessárias para o setor de frigorificado

O roubo de carga frigorificada representa grande prejuízo para as empresas do setor. São Paulo é o estado com maior incidência de roubos de carga no Brasil, acarretando quase metade dos prejuízos. Diversas medidas podem ser implementadas para diminuir os riscos, como:

  • Fiscalização intensificada;
  • Investimentos em tecnologias de segurança e gestão de riscos;
  • Adoção de melhores práticas de contratação, e outras iniciativas.

Dificuldades no segmento de frigorificado

O segmento alimentício é identificado como particularmente vulnerável, representando 21,5% das perdas e ocupando o segundo lugar nesse ranking.

A elevada demanda por alimentos, o rápido escoamento, a dificuldade de armazenagem, e o grande número de possíveis receptadores posicionam as cargas frigorificadas como líderes no ranking de abordagens e perdas.

Soluções e sistemas da OpenTech

A OpenTech oferece soluções para garantir maior segurança e eficiência nos serviços de entrega. Como líder em gerenciamento de riscos e controle logístico para o transporte de cargas, fornecemos soluções tecnológicas que visam a diminuição de ameaças, redução de custos e o aumento da produtividade nas operações de transporte.

Com as soluções OpenTech para gerenciamento de risco no transporte, você conta com:

  • Checklist logístico;
  • Cadastro de motoristas;
  • Programa de prevenção de acidentes;
  • Rastreamento e monitoramento em tempo real;
  • Treinamentos;
  • Torre de controle logístico;
  • Sistema integrado logístico e muitas outras soluções!

Ao seguir esse guia completo com boas práticas para garantir o gerenciamento de risco no transporte e contar com as soluções da OpenTech, você otimiza toda a operação de transporte, ao mesmo tempo que alcança a eficiência e qualidade com soluções de alta tecnologia.

Esses fatores fazem a sua empresa se destacar no mercado, garantindo a sua competitividade. Para conhecer melhor nossas soluções, clique aqui e converse com nossos especialistas.

To top