|

Quem atua no setor de transporte e logística certamente precisa estar atento sempre aos riscos no transporte de cargas. Isso porque ele envolve fatores externos e internos à empresa.

Como é o caso da infraestrutura para os motoristas, assim como treinamentos adequados e também medidas de segurança para inibir ações de quadrilhas.

O gerenciamento de riscos deve considerar tudo isso para adotar medidas e soluções que reduzam ou eliminem as ocorrências na frota. Essas, podem trazer prejuízos enormes tanto para as empresas quanto para os seus clientes.

Portanto, confira no conteúdo a seguir quais são os principais riscos encontrados no transporte de cargas e como a tecnologia pode auxiliar a zerar o número de ocorrências a partir de um gerenciamento de riscos eficiente. Boa leitura!

Principais riscos no transporte de cargas e como gerir com eficiência

Ninguém quer perder produtos, independentemente do tamanho da empresa, quantidade de veículos ou valor da carga. Isso pode vir a acontecer por roubo, furto ou acidente. Por isso, o gerenciamento eficaz da operação é essencial.

Ter em mente os principais riscos e as medidas necessárias para mitigar seus efeitos e prejuízos pode ajudar a tornar sua operação muito mais segura.

1) Acidentes nas estradas

Não é novidade que as rodovias brasileiras não são as melhores. Há trechos perfeitos e outros, em péssimas condições. Assim, conhecer as estradas é importante para minimizar os riscos de acidentes ou danos ao veículo e à carga.

É necessário planejar as rotas, definir os trajetos mais seguros até o destino, evitar imprevistos como quebras no caminhão e atrasos na entrega. E quem segue um bom plano de gerenciamento conta com um histórico e informações que vão subsidiar decisões de viagens mais assertivas.

Webinar: Prevenção de Acidentes: treinamentos e capacitação na prática - Opentech

2) Roubo de cargas

No Brasil, quadrilhas especializadas em roubo de cargas desafiam a polícia independente do local ou da hora. Por isso, adotar medidas para inibir essa ação ou para recuperar a carga e garantir a segurança do motorista, é essencial.

O prejuízo para o setor de transportes e logística é bilionário e pode ser reduzido com medidas de gerenciamento dos riscos. Isso pode ser minimizado com o uso de tecnologia para o monitoramento das viagens em tempo real, por exemplo.

Com inteligência nas operações de transporte é possível incrementar medidas já utilizadas pelo setor, como:

  • Rastreamento do veículo;
  • Roteirização do trajeto mais seguro;
  • Sensores nas travas de portas e baús;
  • Botão de pânico e comunicação em tempo real com a central de monitoramento.

Além disso, também é preciso investir em tecnologia, inteligência artificial e ações estratégicas, que permitem:

  • Localização da frota em tempo real;
  • Identificação dos locais de parada;
  • Monitoramento do desempenho durante a viagem;
  • Controle de velocidade, acelerações, frenagens bruscas, paradas suspeitas;
  • Desvios de rota;
  • Interrupção de comunicação entre a Central e o motorista;
  • Atitudes fora do padrão;
  • Definição de planos de emergência;
  • Ampla visibilidade das viagens;
  • Bloqueios remotos do veículo;
  • Geração de relatórios que orientem medidas corretivas e planos de ação;
  • Serviços de força em campo, com equipes de inteligência que alimentam o sistema com informações estratégicas.Assim como, times de pronta-resposta para atuação in loco, em conjunto com órgãos de segurança pública para a recuperação de cargas.

3) Excesso de peso e cargas especiais

O excesso de peso é um dos maiores responsáveis pelos acidentes nas estradas. Assim, esse fator junto com os tombamentos, colocam em risco de forma simultânea motorista, carga e veículo.

Portanto, lembre-se: respeitar as especificidades da carga e do caminhão é fundamental para uma operação segura.

É importante considerar as características do veículo. Isso inclui peso, velocidade, tipo de carga, altura do caminhão e da carga, centro de gravidade, curvas, efeito chicote e outros fatores.

O conhecimento das rotas e a adoção de medidas para inibir a ação das quadrilhas especializadas em roubos também se faz necessário.

Isso porque um erro pode causar acidentes, colocar em perigo o motorista, a carga e prejudicar a viagem.

4) Capacitação profissional inadequada

Bons motoristas estão sempre se reciclando e dominam as boas práticas de direção.

A qualificação tende a minimizar a gravidade dos riscos no transporte de cargas. Em muitos casos, a falta de treinamento e a falta de checagem adequada aumentam as chances de erros em viagens e segurança.

Assim, a falta de habilidade só agrava os fatores que já vimos anteriormente, como acidentes decorrentes das más condições das estradas.

Lembre-se: a experiência com veículos pesados ajuda a evitar tombamentos, por exemplo, e o preparo e a atenção aos requisitos de segurança e prevenção podem evitar furtos e roubos.

5) Falta de manutenção preventiva da frota

Para realizar uma viagem em segurança, os caminhões precisam estar com a manutenção em dia.

Passar periodicamente pela inspeção veicular preventiva é importante.

Felizmente, há tecnologia disponível para ajudar no controle de rotinas como essa. Lembre-se: investir no planejado é melhor do que investir de última hora durante uma viagem.

Você vai concordar quando souber que o caminhão quebrou na viagem, atrasando a entrega e prejudicando o planejamento.

6) Subestimar medidas preventivas e corretivas

É possível e necessário adotar estratégias de prevenção para diminuir o número de acidentes na frota. Como as manutenções necessárias, o treinamento da equipe e tecnologias que auxiliam no monitoramento.

Motoristas treinados também têm postura mais atenta e podem identificar abordagens suspeitas. Assim, empresas usam tecnologia e treinam motoristas para prevenir acidentes e reduzir custos.

A gerenciadora de risco acompanha a operação online e corrige os registros de não conformidade. Enquanto isso, o motorista estará preparado para essa comunicação e entenderá os procedimentos, tomando decisões rápidas.

7) Imperícia, imprudência e negligência que geram riscos no transporte de cargas

O motorista recebe capacitação, mas por uma distração ou negligência, acaba causando um acidente ou facilitando a ação de uma quadrilha de roubo de cargas.

Não é o que a empresa deseja, mas pode acontecer. Por isso, vale a pena considerar esses três fatores – e tomar medidas para tentar evitá-los ao máximo:

  • Imperícia: falta de habilidade ou de capacidade do profissional e, em se tratando do transporte de cargas, acaba facilitando a ocorrência de acidentes.
  • Imprudência: costuma ocorrer por excesso de confiança. Quando o motorista está extremamente seguro sobre sua competência e executa a mesma função há muito tempo, atuando no modelo que chamamos de “piloto automático”. Por falta de cuidado, acaba cometendo erros.
  • Negligência: ocasionada por um descuido ou falta de atenção, é a situação mais comum. É aquele caso de um acidente causado porque o motorista atendeu o celular enquanto dirigia, por exemplo.

Para evitar que situações como essas ocorram em sua operação, aprimore o processo de seleção dos profissionais ou fornecedores de transporte. Reforce, também, esses pontos em seus treinamentos com os motoristas.

8) Falta de atenção com a documentação

Viajar sem que a documentação pessoal, do caminhão e da carga estejam rigorosamente em dia é inadmissível. Sistemas de gestão logística auxiliam na hora de administrar a vasta burocracia que permeia a atividade de transporte de mercadorias no Brasil.

Fazer um checklist antes de liberar o motorista para a viagem é sempre uma boa ideia para evitar o risco de multas e apreensões nas estradas.

Como a tecnologia pode auxiliar na reduzir os riscos no transporte de cargas e no gerenciamento eficiente

Com inovação e tecnologia, é possível reduzir problemas financeiros causados pela falta de gestão e prevenção. Isso torna as operações mais seguras e eficientes.

Novas tecnologias e profissionais capacitados podem melhorar o desempenho da empresa em várias áreas ao planejar e monitorar viagens.

Para mitigar os riscos na movimentação de cargas, é preciso investir em inovação, prevenção, planejamento e inteligência operacional. É fundamental ter estratégia para uma viagem segura.

Isso passa por:

  • Conhecer rotas e locais seguros de parada,
  • Trechos com maior incidência de acidentes e roubos – e evitá-los -,
  • Traçar programas de treinamento para motoristas e garantir que conheçam os processos, metodologias e a cultura da empresa,
  • Fazer entregas bem sucedidas,
  • Rastrear as frotas em tempo real ;
  • Contar com um serviço de inteligência e equipes de pronta-resposta para atuar em caso de sinistros.

Mas vai além! Sua empresa melhora a segurança e a gestão operacional com tecnologia e parceiros especializados. Isso aumenta o desempenho e a qualidade dos serviços de movimentação de cargas.

Assim, gerenciar riscos é:

  • Fazer a programação das cargas selecionando os melhores fornecedores de transporte;
  • Manter entregas com excelência e dentro do prazo;
  • Ter viagens monitoradas em tempo real;
  • Contar com processos automatizados para gerar informações qualificadas e ganhos na tomada de decisões;
  • Obter visibilidade operacional para eliminar perdas no processo;
  • Ter visão gerencial que permita controle das entregas, trânsito e cross docking;
  • Reduzir as devoluções com atuação online;
  • Acessar dashboards customizados de acordo com a operação.

Para isso, conheça as nossas soluções. Nós da Opentech somos especialistas em gerenciamento de riscos no transporte de cargas e eficiência logística para o setor. Trabalhamos com tecnologia de ponta para oferecer soluções que tragam mais eficiência, segurança e produtividade para nossos clientes.

Para entender como a Opentech pode ajudar a trazer esses benefícios para a sua empresa, clique aqui e converse com nossos especialistas.

To top