Para garantir que a carga chegue ao destino em segurança, sem avarias e no prazo certo, inúmeros processos, documentos e trâmites são necessários na gestão de transportes para embarcadores.

Cada uma das etapas logísticas precisa ser bem executada, entre elas a gestão de transportes para embarcadores.

Manter rotinas estruturadas, ter ampla visibilidade operacional e monitorar cada um dos indicadores de desempenho garantem resultados mais eficientes e clientes mais satisfeitos.

Mas, afinal, como embarcadores e transportadores conseguem a sinergia necessária para o sucesso das operações? Como manter a competitividade em um setor que envolve altos custos e concorrência acirrada?

A melhor resposta é: fazendo uma eficiente gestão de transportes!

Quem é e quais são as responsabilidades do embarcador?

Diferentemente do transportador – que faz o transporte da carga de terceiros, o embarcador é, em geral, o dono da mercadoria ou a empresa contratada para fazer a gestão do armazém e das entregas. É ele quem seleciona e contrata o transportador.

Entre as atribuições do embarcador estão a embalagem e identificação das mercadorias, expedição, escolha do modal mais adequado para cada remessa e o controle da documentação necessária para os procedimentos de embarque.

Torre de Controle: da personalização à visibilidade em tempo real

Principais necessidades da gestão de transportes para embarcadores

O processo produtivo envolve atividades complexas e, por isso, muitos embarcadores optam pela terceirização do transporte.

Dessa forma, eles mantêm o foco na estratégia dos negócios, na armazenagem e na expansão de mercado, reduzem investimentos em ativos fixos de logística e controlam melhor os custos.

Ainda que transfiram a tarefa e a responsabilidade das viagens a empresas especialistas no assunto, a gestão de transporte para embarcadores é algo do qual não se pode abrir mão.

Escolher os transportadores adequados para atender todas as necessidades do mercado e tornar as entregas mais eficientes é o primeiro passo.

Confira as principais demandas de embarcadores:

Agilidade na gestão de transportes para embarcadores

Os consumidores não querem esperar muito tempo para receber suas mercadorias, por isso, a logística precisa ser ágil em todas as suas etapas. Para os embarcadores, é essencial que o transporte seja eficiente e que os responsáveis pelas viagens mantenham rotinas automatizadas e enxutas.

Entregas no prazo

Garantir os prazos de entrega é uma condição crucial para a manutenção do vínculo entre transportadores e embarcadores. Os atrasos estão entre as principais queixas dos clientes e podem comprometer não só a imagem da transportadora como também dos embarcadores.

Visibilidade operacional

Para melhorar a segurança das operações logísticas é fundamental ter ampla visibilidade operacional. Sem o uso de tecnologias que permitam rastrear, monitorar e controlar o andamento das viagens fica difícil garantir entregas de excelência.

Informações em tempo real dentro da gestão de transportes para embarcadores

Saber como anda a viagem e ter informações em tempo real sobre a rota e o status das entregas é outra necessidade de embarcadores. A precisão nos dados da operação é um requisito que melhora muito a percepção dos embarcadores sobre a qualidade dos serviços prestados pelas transportadoras.

Boa roteirização e gerenciamento de risco

A escolha assertiva da rota e um plano de gerenciamento de risco adequado às especificidades da carga são determinantes para aumentar a segurança no transporte e reduzir a sinistralidade. Isso, com certeza, é algo que embarcadores não abrem mão.

O uso de softwares de roteirização e de gestão de riscos permite que as entregas cheguem a tempo e sem avarias no destino.

Bom relacionamento

Não basta apenas tecnologia para aprimorar a logística. Uma boa gestão de transportes para embarcadores envolve a qualidade no atendimento. Por isso, é fundamental que a transportadora mantenha bom relacionamento com seguradoras e gerenciadoras de risco.

8 boas práticas na gestão de transportes para embarcadores

1. Planejamento estratégico

É difícil manter a competitividade sem um bom planejamento estratégico e uma visão de longo prazo. Todo trabalho precisa estar baseado em análise de perspectivas, objetivos e metas definidos, gestão de riscos e acompanhamento de resultados.

2. Cálculo do frete para gestão de transportes para embarcadores

O transporte é a etapa mais cara da cadeia de suprimentos e, como tal, precisa ser feito por empresas especializadas, sérias e que ofereçam o melhor custo-benefício.

Os embarcadores devem ser rigorosos na seleção dos parceiros que ficarão responsáveis pela movimentação e entrega das mercadorias.

3. Automatização dos processos

Softwares, aplicativos e soluções especializadas no transporte de cargas agilizam as rotinas, otimizam o fluxo de trabalho, reduzem os erros e atrasos e garantem que os profissionais estejam focados na inteligência do negócio – e não em atividades manuais burocrática e demoradas.

Antes de fechar um contrato com a transportadora, os embarcadores devem conhecer o sistema de gestão e o nível de modernização do prestador de serviço em transporte.

4. Monitoramento e rastreamento das cargas

Embarcadores e consumidores querem saber exatamente onde está a mercadoria.

Para ter certeza de que as viagens transcorrem conforme o planejado, as transportadoras devem fazer o monitoramento e o rastreamento adequado das cargas, estabelecendo processos ágeis de comunicação com todos os players sempre que necessário.

5. Acompanhamento dos KPIs

Acompanhar os indicadores de desempenho é uma forma de os embarcadores avaliarem a eficiência das entregas e fazer a gestão dos transportes.

Com base em dados reais e na análise de séries históricas fica mais fácil entender onde estão os problemas e definir as melhores estratégias para corrigir ou amenizar os gaps, evitando prejuízos no transporte de cargas.

6. Padronização de processos

Embora não seja uma tarefa das mais fáceis, padronizar e alinhar os processos é fundamental na gestão de transportes para embarcadores. Todos os envolvidos no processo logístico precisam estar cientes de suas responsabilidades.

Só assim é possível controlar os resultados, manter a qualidade dos serviços e atender as demandas dos clientes.

7. Integração de sistemas na gestão de transportes para embarcadores

A integração das soluções usadas na gestão de transporte é uma boa prática que permite a conexão entre os setores, prestadores de serviço e clientes.

A comunicação também precisa ser integrada para ser eficiente, otimizar o fluxo de trabalho e acompanhar o andamento das entregas. Uma boa gestão de transportes para embarcadores faz justamente isso: controla e monitora os processos do início ao fim.

 8. Investimento em inovação e tecnologia

Não é possível gerenciar com eficiência o transporte de cargas sem investimento em tecnologia.

As transformações digitais obrigam embarcadores – e, evidentemente, transportadores – a aprimorar constantemente seus processos.

Contar com soluções modernas e sistemas especializados é a melhor alternativa.

O transporte é uma etapa estratégica demais para ser negligenciada.

Conheça o Open SIL: visibilidade em tempo real para monitoramento logístico de veículos e cargas.

To top