A Anvisa e o transporte de alimentos estão diretamente relacionados. Esse é o órgão público responsável por normatizar as regras de transporte de carga no país.

Assim, é imprescindível que o gestor de transporte conheça as principais regras, a fim de garantir as atividades da operação.

Esses cuidados são necessários porque os alimentos apresentam suas próprias características e particularidades relacionadas ao controle de qualidade.

Além disso, existem regras de armazenagem e técnicas de manuseio adequadas.

Confira neste conteúdo quais são as regras da legislação sobre o transporte de alimentos para garantir que a sua empresa não sofra penalidades. Boa leitura!

O que diz a legislação e as normas para o transporte de alimentos?

O transporte de alimentos está normatizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa, na Portaria n.º 326.

A lei estabelece práticas de higiene, fabricação e manuseio dos alimentos, além de outras especificações.

Já a Resolução n.º 275 da ANVISA é a responsável por regulamentar os procedimentos padronizados e técnicos que devem, obrigatoriamente, ser atendidos por empresas que atuam com o transporte e manuseio de alimentos.

Conforme previsto nas Normas da Anvisa e fiscalizado pelo órgão, as exigências para o transporte de alimentos compreendem, entre outras ações:

  • manter a integridade do produto no transporte;
  • não transportar outras cargas no veículo que comprometam a segurança do produto (transportar alimentos com produtos de limpeza, por exemplo);
  • fazer o deslocamento das mercadorias na temperatura especificada no rótulo;
  • manter o caminhão higienizado e com cobertura para proteção de carga;
  • ausência de vetores e pragas urbanas ou qualquer evidência de sua presença como fezes, ninhos e outros;
  • manter a carga que precisa de refrigeração sob temperatura adequada.
  • manter a cultura de checklist, a fim de garantir a gestão e controle da operação.

Como funciona a fiscalização no transporte de alimentos no Brasil

A Anvisa é a responsável por fiscalizar o transporte de alimentos, ela conduz suas operações via postos e agentes da vigilância sanitária federal.

Esses atuam em pontos estratégicos de acesso ao território nacional, nos limites entre cidades e divisas entre estados.

Na abordagem, são verificados se estão sendo atendidos pelo transportador todos os critérios que constam nas normas, como a higiene, desinfecção, refrigeração, circulação de ar, isolamento e descarte adequado de resíduos, entre outros.

Além das cargas de alimentos, a Anvisa também fiscaliza cargas vivas, como aves e suínos.

Quais os cuidados necessários para o transporte de alimentos não perecíveis e perecíveis?

Quando o assunto é Anvisa e transporte de alimentos, é preciso observar que o transporte de alimentos é dividido em dois grupos principais, os produtos perecíveis e os não perecíveis.

Cada um deles têm as suas exigências, abaixo contextualizamos quais são:

Alimentos não perecíveis

Correspondem à classe de alimentos que não precisam de refrigeração para a sua conservação, como no café, feijão, arroz, cereais, entre outros.

Os alimentos não perecíveis são mais fáceis de fazer a sua armazenagem, e de modo geral, possuem um prazo de validade mais longo.

Alimentos perecíveis

Essa classe de alimentos requer um cuidado maior para não estragarem durante a viagem, e necessitam de refrigeração adequada para a sua conservação.

São considerados produtos perecíveis: carnes, ovos, frutos-do-mar, ovos, alimentos congelados, frutas e legumes.

Pela sua natureza, os alimentos perecíveis possuem um alto risco de contaminação e deterioração.

É por essa razão que o deslocamento das mercadorias devem ser realizados com o controle de higiene, temperatura e tempo da viagem.

A Anvisa não autoriza o transporte de alimentos perecíveis juntamente com outros alimentos ou mercadorias que possam oferecer riscos de contaminação.

Cuidados no transporte, como evitar que o baú seja aberto antes de chegar ao destino, e o manuseio correto na carga e descarga são necessários para evitar contaminação dos alimentos e maiores danos na mercadoria.

O deslocamento dos alimentos perecíveis deve ser conduzido em prateleiras no caminhão.

Como gerenciar o transporte de alimentos?

O transportador que deseja atuar com esse tipo de carga deve estar atento às boas práticas, a fim de garantir a qualidade e segurança dos produtos.

Nesse cenário, faz-se necessário um bom gerenciamento de transporte de alimentos.

Para ajudar você com esta tarefa, separamos os principais cuidados com o transporte de alimentos, confira!

Conferência da etiqueta

A Anvisa exige que o transporte de alimentos tenha uma conferência minuciosa das etiquetas.

Elas são responsáveis por trazer informações importantes, assegurando que os produtos cheguem ao consumidor final em perfeitas condições e dentro das normas da Vigilância Sanitária.

Portanto, é necessário que a equipe de transporte faça a conferência dos produtos, verificando se eles estão etiquetados corretamente, com dados legíveis e sem manchas.

Com isso, se for encontrado qualquer inconformidade, deve ser informado ao fabricante para que ele possa tomar as providências, e somente depois dos ajustes o transporte é liberado.

Para aumentar a agilidade das atividades operacionais, é possível contar com a ajuda de ferramentas tecnológicas.

Elas são responsáveis por aumentar a agilidade da conferência e diminuir as chances de erros. Dessa forma, as atividades no transporte de alimentos são otimizadas.

Atenção a data de validade do produto

Alimentos muito próximos ao vencimento podem representar um grande transtorno para as transportadoras, ainda mais se houver um imprevisto que atrasa as entregas.

Por isso, é indicado fazer a conferência e prosseguir com o transporte apenas quando houver uma boa margem de segurança.

Além disso, é importante ressaltar que o transporte de mercadorias vencidas é ilegal e pode gerar multas, apreensão da carga e outros transtornos para a transportadora.

Monitoramento da temperatura

Alguns alimentos exigem cuidados extras e necessitam da manutenção de uma certa temperatura durante o trajeto.

Nesses casos, é preciso contar com uma transportadora que tenha veículos adaptados para isso, e que adote um rígido controle durante todo o transporte.

Garantir essa estabilidade climática faz toda a diferença para o processo, e garante que o produto continue adequado ao consumo humano, mesmo após longas horas de viagem.

Documentação em dia

A documentação é um dos principais pontos quando o assunto é Anvisa e transporte de alimentos.

O Governo exige autorização específica para o transporte de alimentos, e os documentos devem acompanhar a carga no deslocamento.

Dessa forma, para atuar no ramo de transporte de alimentos, é preciso ter autorização legal para executar esse serviço.

Caso contrário, a carga pode ser retida pela fiscalização, causando grandes prejuízos, principalmente se for perecível.

Quais os principais riscos para o transporte de alimentos?

As perdas são os principais riscos para o transporte de alimentos.

O manuseio dessas cargas é sensível, e o tempo de deslocamento pode comprometer a qualidade dos alimentos.

Somado a esse cenário, ainda há o problema com as más condições das vias, fatores climáticos como calor extremo, entre outras situações não previstas, que podem comprometer a carga.

Controle de temperatura no transporte de alimentos

Para transportar alimentos perecíveis é preciso seguir um rigoroso controle de temperatura, o que requer caminhões refrigerados.

Assegurar a estabilidade da temperatura é fundamental para garantir que o produto continue adequado para o consumo humano, mesmo após longos períodos de deslocamento.

Logo, é preciso contar com equipamentos adequados para fazer a medição da temperatura durante a viagem, e também mantê-la estável durante o percurso.

Como o Brasil possui grandes distâncias entre as regiões, quanto maior o deslocamento, maior o cuidado com a mensuração da temperatura em trânsito.

Para isso, conte com os serviços de uma gerenciadora de riscos. Nós da Opentech, oferecemos o controle em tempo real de toda a viagem, inclusive, o monitoramento da temperatura durante toda a operação.

Nosso objetivo é fazer com que a sua carga refrigerada chegue em perfeita condição ao cliente, evitando, prejuízos e riscos de perda total da mercadoria.

Para conhecer melhor nossas soluções, clique aqui e converse com nossos especialistas.

To top