O cenário dos riscos da carga no Rio de Janeiro tem se agravado nos últimos anos após às restrições impostas pelo STF, que limitaram as operações policiais em comunidades desde 2020.

Essas restrições resultaram em um aumento drástico da violência nas rodovias do estado, com quadrilhas ligadas ao tráfico aproveitando-se da dificuldade da polícia em entrar nas comunidades.

Esses grupos criminosos têm assaltado caminhões e levado as cargas para dentro das comunidades, onde contam com estruturas logísticas sofisticadas e praticamente impenetráveis pela polícia.

Diante desse preocupante cenário, gestores de logística e transporte devem estar atentos à importância do gerenciamento de riscos para proteger suas cargas e minimizar prejuízos.

Concentração geográfica dos riscos da carga no Rio de Janeiro e suas implicações

Os riscos da carga no estado do Rio de Janeiro apresenta uma concentração geográfica significativa, o que impacta diretamente nas estratégias de gerenciamento de riscos.

A análise dos dados revela que as rodovias federais fluminenses, como a BR-040, BR-101, BR-116 e BR-493 (Arco Metropolitano), são locais onde ocorre a maior concentração de roubos de carga.

Essas rodovias cortam 10 das 137 CISP, sendo que as 11 CISP localizadas ao longo da BR-493 apresentaram uma redução de 9% nos roubos de carga em 2022.

A BR-493 é especialmente relevante para o estado do Rio de Janeiro, pois foi projetada para ser um corredor logístico, retirando veículos de carga dos centros urbanos e favorecendo a mobilidade urbana e a logística.

No entanto, a CISP 59 – Duque de Caxias, localizada no entroncamento da BR-040 com o Arco Metropolitano e a Dutra, registrou um aumento de 43% nos roubos de carga em 2022.

Essa região é de extrema importância logística e abriga espaços industriais como o Distrito Industrial de Xerém e o Polo Petroquímico de Campos Elíseos.

Concentração dos casos de riscos da carga no estado do Rio de Janeiro

Fonte: Elaboração da Firjan, com base em dados do Instituto de Segurança Pública (ISP)

Além das rodovias, outras regiões estratégicas também apresentaram desafios significativos em relação aos roubos de carga. O entorno do Porto do Rio de Janeiro registrou um aumento de quase 70% no número de casos em 2022.

O Porto do Rio é um importante polo logístico para o transporte de cargas no estado, movimentando quase R$ 100 bilhões em mercadorias durante o ano.

Essa região registrou um incremento de 284 ocorrências em comparação com 2021, representando um aumento médio de cerca de 5 casos por semana.

Por outro lado, é importante destacar algumas CISP que apresentaram uma redução expressiva nos casos de roubo de carga, como a:

  • CISP 74 – Monjolos;
  • CISP 73 – Neves;
  • CISP 72 – São Gonçalo;
  • CISP 75 – Ipiiba e Sete Pontes e;
  • CISP 54 – Belford Roxo com reduções respectivas de 89%, 85%, 81%, 71% e 24%.

Concentração dos casos de roubo de carga em 2021 – 2.262 casos (50,0%)

Evolução da concentração dos casos de roubo de carga

Fonte: Elaboração da Firjan, com base em dados do Instituto de Segurança Pública (ISP) e da Confederação Nacional de Transportes (CNT).

Concentração dos casos de roubo de carga em 2022 – 2.234 casos (52,7%)

Concentração dos casos de roubo de carga em 2022 – 2.234 casos (52,7%) Fonte: Elaboração da Firjan, com base em dados do Instituto de Segurança Pública (ISP) e da Confederação Nacional de Transportes (CNT)

Fonte: Elaboração da Firjan, com base em dados do Instituto de Segurança Pública (ISP) e da Confederação Nacional de Transportes (CNT)

Aumento preocupante nos riscos das carga no Rio de Janeiro em 2023

Apesar da redução no número de roubos de carga em 2022, o cenário no Rio de Janeiro voltou a se tornar alarmante no início de 2023. Comparando o mesmo período de abril com o ano anterior, constatou-se um aumento de 14% nas ocorrências desse tipo de crime.

Esse crescimento representa uma média de 184 ocorrências a mais em relação ao ano anterior, o que é extremamente preocupante.

Esse aumento repentino demonstra a necessidade de redobrar os esforços para enfrentar a criminalidade e proteger as cargas em trânsito no estado.

Tendência de aumento na média diária de roubos de carga em 2023

Tendência de aumento na média diária de roubos de carga em 2023

Além do aumento geral nas ocorrências de roubo de carga, os dados apontam para uma tendência preocupante no ano de 2023.

A média móvel diária indica que a quantidade de roubos consumados por dia está aumentando. Em 2022, essa média era de 11,7 roubos por dia, enquanto em 2023 espera-se uma média de 12,7 roubos por dia.

Esses números revelam um incremento significativo, o que resulta em aproximadamente um evento de roubo de cargas a cada duas horas no estado do Rio de Janeiro.

Esse panorama exige uma atenção redobrada por parte das autoridades, empresas de transporte e embarcadores, que precisam adotar medidas efetivas de gerenciamento de riscos para proteger suas cargas e evitar prejuízos financeiros.

 

Fatores que transformaram o cenário do crime no Rio de Janeiro

O cenário do crime no Rio de Janeiro passou por transformações significativas nos últimos anos, influenciando diretamente a segurança pública e o combate ao crime organizado.

Dois fatores principais foram determinantes nessa mudança: o estouro do Complexo do Alemão e a implantação frustrada das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs).

Esses eventos desencadearam uma série de migrações de criminosos para diferentes regiões, impactando o cenário do crime em locais como a Baixada Fluminense, Niterói e São Gonçalo.

Fatores que mudaram o cenário do crime no Rio de Janeiro 

fatos que mudaram o cenário de roubo de cargas no RJ

Fonte: Opentech.

Estouro do Complexo do Alemão e migração dos chefes do crime

O estouro do Complexo do Alemão foi um evento marcante que teve impacto significativo no cenário do crime no Rio de Janeiro.

Com a ação policial, houve um sufocamento do tráfico de drogas nessa região, resultando na apreensão de armas e na desarticulação de grupos criminosos.

Essa mudança obrigou os chefes do crime a buscar novos territórios para continuar suas atividades ilícitas.

Como resultado, ocorreu uma migração de criminosos para outras áreas, como o Complexo da Maré, o Complexo da Pedreira, Niterói e São Gonçalo, além da Baixada Fluminense. Essas migrações alteraram o mapa do crime e afetaram diretamente a segurança nessas regiões.

Implantação frustrada das UPPs e migração de criminosos

A implantação das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) foi uma estratégia adotada pelo governo do Rio de Janeiro para combater o crime e promover a pacificação em áreas dominadas por facções criminosas.

No entanto, o resultado não foi o esperado, e a implantação das UPPs acabou sendo frustrada em diversos locais.

Essa situação desencadeou uma migração de criminosos para outras regiões, em busca de territórios onde pudessem continuar suas atividades criminosas sem enfrentar a presença policial.

A Baixada Fluminense, Niterói e São Gonçalo foram áreas que receberam uma significativa concentração desses criminosos, impactando diretamente a segurança nessas regiões.

Ações de Inteligência da Opentech para o Gerenciamento de Riscos no Transporte de Cargas

A Opentech, especializada em gerenciamento de riscos, oferece uma variedade de serviços de inteligência que desempenham um papel crucial na prevenção e proteção contra roubos de carga.

Por meio de seu Departamento de Inteligência, a empresa fornece soluções personalizadas para seus clientes, abrangendo desde o levantamento de informações em campo até a análise de riscos e investigação.

análise de riscos e investigação

Matriz de Risco e Cadastro para evitar riscos da carga

A Matriz de Risco da Opentech representa uma evolução no processo de cadastro, permitindo a identificação de potenciais riscos associados a um determinado veículo ou condutor.

Por meio de um workflow automatizado, o sistema processa uma vasta quantidade de dados relevantes.

Ao reunir essas informações em um único lugar, a Matriz de Risco é capaz de calcular índices de risco específicos para cada veículo e motorista.

Esses índices são fundamentais para a tomada de decisões informadas e estratégicas, auxiliando as empresas a selecionar os motoristas mais adequados para cada tipo de carga e minimizando os riscos de acidentes e roubo de carga.

Análise de Rota e Pontos de Parada

A análise de rotas e pontos de parada é um serviço essencial fornecido pela Opentech. Por meio dessa análise, a empresa estuda as rotas utilizadas pelo cliente e identifica trechos e locais com risco em potencial nas rodovias.

Essa avaliação permite adotar medidas preventivas específicas para cada rota, minimizando os riscos de roubo de carga. Ao considerar fatores como o histórico de incidentes e a situação atual da região, a Opentech ajuda a criar estratégias eficazes de segurança.

Regras de Gerenciamento de Risco (GR) e Tecnologias Avançadas

A Opentech é especialista na aplicação de regras de Gerenciamento de Risco (GR) personalizadas para cada cliente.

Através da parametrização de regras com tratativas diferenciadas por locais, produtos e sazonalidade, a empresa oferece uma abordagem precisa e eficaz para a proteção das cargas.

Além disso, a Opentech utiliza tecnologias avançadas, como equipamentos de redundância nos veículos e iscas para cargas de alto valor, aumentando a segurança e a rastreabilidade das mercadorias transportadas.

Força de Campo e Pronta Resposta

A Opentech disponibiliza uma equipe de força de campo altamente treinada e pronta para responder a situações emergenciais.

Essa equipe é gerenciada com foco em compliance e efetividade, selecionando os melhores prestadores de serviços do mercado.

Através da adoção de pronta resposta para casos de panes em veículos, situações suspeitas e sinistros, a Opentech garante uma atuação rápida e eficiente, orientando as condutas dos motoristas e minimizando os impactos negativos nas operações de transporte.

Averiguação e Investigação Inteligente dos riscos da carga

Averiguação e investigação são serviços essenciais oferecidos pela Opentech para compreender o modus operandi das quadrilhas e analisar os sinistros ocorridos.

A empresa realiza uma análise inteligente do processo, utilizando técnicas avançadas para desenvolver estudos atualizados sobre as táticas criminosas.

Além disso, a Opentech realiza investigações infiltradas, obtendo informações valiosas que auxiliam na identificação e desarticulação de quadrilhas.

A análise de risco patrimonial também é parte integrante desse serviço, identificando possíveis vulnerabilidades e propondo soluções para proteger o patrimônio dos clientes.

Conclusão

O cenário de roubo de cargas no Rio de Janeiro apresenta desafios significativos para as empresas de transporte e embarcadores.

Restrições policiais, migração de criminosos e concentração de ocorrências em determinadas regiões são apenas alguns dos problemas enfrentados.

Nesse contexto, é essencial contar com soluções eficazes de gerenciamento de riscos, como as oferecidas pela Opentech.

Entre em contato com nossa equipe para solicitar um orçamento e saber com mais detalhes sobre os nossos serviços.

Deseja estar sempre atualizado com as melhores práticas de gestão de riscos no transporte de cargas? Inscreva-se no #DeOlhoNoRisco, a newsletter da Opentech.

Acesso ao De Olho No Risco

To top