|

Em meio a um ano pandêmico, diversos setores econômicos foram afetados, alguns com resultados positivos, outros nem tanto. Um exemplo é o segmento de frigorificados que teve um aumento significativo mesmo em tempos de crise.

Um estudo realizado pela ABIA, (Associação Brasileira da Industria de Alimentos), no Brasil, o segmento de alimentos e bebidas registrou um crescimento de 0,8% em faturamento e 2,7% em produção física no primeiro semestre de 2020 se comparado ao mesmo período do ano anterior.

Entre os fatores que contribuíram para este resultado no período, destacam-se a expansão das exportações e o desempenho do varejo alimentar no mercado interno.

Apesar do canal Food Service (restaurantes) registrar uma queda de 29,5% nas vendas, outros setores puxaram esse resultado para cima, como: açúcar (+22,6%), óleos vegetais (+3,9%) e carnes (+1,9%).

Essa expansão se deve ao aumento do volume de produção, consumo interno e as exportações.

Aspecto positivo para o segmento de frigorificados e carnes

No que se refere ao mercado de carnes, há um aspecto positivo, ano pós ano. Os indicadores da ABIA apontam um aumento de (+11,1%) no ano de 2019 em relação a 2018.

Guinado pelas exportações, o mercado de carnes bateu recorde de 1,828 milhão de toneladas em 2019, ante 1,643 milhão em 2018.

Já em 2020, no primeiro semestre do ano, o Brasil exportou 732,8 mil toneladas de carne bovina, quantidade bastante superior ao mesmo período do ano passado, quando foram exportadas 695,1 mil segundo a Abrafrigo (Associação Brasileira de Frigoríficos).

Vale destacar que não se trata de um crescimento sem desafios. Os fatores adversos da pandemia somam em média 4,8% nos custos da produção no mercado de carnes em relação ao ano anterior.

Custos logísticos para o faturamento bruto das empresas

Quando falamos dos custos logísticos, o percentual de representatividade chega a 12,5% do faturamento bruto dessas empresas. Isso tem sido um desafio adicional para as empresas do setor, face ao contexto atual das economias brasileira e mundial.

Na Opentech não é diferente, a tendência do aumento do volume transportado no segmento de frigorificados pode ser confirmada na quantidade de viagens monitoradas pela Opentech que foi 17% maior se comparado 2019 com 2018.

Quando comparamos o primeiro semestre de 2020 com o mesmo período do ano anterior, esse aumento chega a 28%.

Impacto da sinistralidade no transporte do segmento de frigorificados

Sabendo dos desafios dos nossos clientes, trabalhamos com ações específicas no segmento frigorificado. Ajudando nossos clientes alcançar resultados positivos com a redução de custos logísticos e prejuízos com sinistralidade.

Trazendo essas informações para números, nossos clientes obtiveram em média uma redução de 39% da quantidade de ocorrências de sinistros se comparado o ano de 2018 com 2019.

Quando falamos de valores monetários, ou seja, prejuízo financeiro, os resultados ficam ainda mais atrativos, 45% comparando o mesmo período.

Expectativas para o mercado de frigorificados

Nossa expectativa pautada na inteligência do segmento frigorificado, aponta para uma previsão de fechar o ano de 2020 com uma redução de 53% em relação a 2019, concretizando uma grande contribuição para a redução de custos de nossos clientes.

Para acompanhar mais sobre o assunto, acesse as fontes para mais referências:

To top