|

Uma operação com carga refrigerada é desafiadora, afinal, ninguém quer que o sorvete chegue derretido ao destino, a carne estragada ou os legumes murchos.

Com isso, para evitar perdas, é importante investir na gestão logística, ampliar a visibilidade operacional e controlar a temperatura das mercadorias durante a viagem.

Cerca de 1,3 bilhão de toneladas de alimentos são perdidas por ano em todo o mundo, o equivalente a 30% do que é produzido, segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO).

Qual é o resultado? Um processo logístico defasado. A produção, armazenagem e transporte são responsáveis pelo desperdício de 54% desse total, gerando mais de R$ 3 trilhões de prejuízos para o setor.

Neste artigo, mostraremos como evitar as surpresas desagradáveis e acabar com os prejuízos no transporte de carga frigorificada, alcançando excelência e qualidade nas entregas. Boa leitura!

Instruções para o carregamento da carga refrigerada

Gestão eficaz de rotas e paradas visando o menor tempo de entrega da carga refrigerada

Quem já está acostumado a fazer o gerenciamento de riscos sabe como a gestão eficaz de rotas e paradas é crucial.

Com isso, a entrega rápida e sem atrasos é uma importante métrica para as empresas e uma exigência crescente dos clientes.

Agora imagine se a mercadoria que está no caminhão é sensível, como o alface, em um país de extensão continental e condições climáticas tão diferentes, quanto melhor for o desenho da rota (mais seguro e com menos paradas), mais efetivo será o resultado.

Dessa forma, além da mercadoria chegar antes, o tempo que você terá para se preocupar com a temperatura e a qualidade da carga refrigerada ou congelada será menor.

A escolha da rota ajuda na segurança da carga perecível.

Imagine o problema no caso de um sinistro — roubo, acidente ou avaria no veículo por más condições das estradas.

Você já sabe que tudo começa com a programação da carga.

Receber o pedido e planejar o embarque e a entrega são ações necessárias para garantir a qualidade e a integridade das mercadorias resfriadas e congeladas.

Então, outro aspecto importante, com influência direta na eficiência da entrega e no tempo de espera do produto no caminhão, é o agendamento, principalmente em grandes atacados e centros de distribuição.

Deve-se considerar as restrições de horários para caminhões e veículos de entrega nos centros urbanos.

Lembre-se que essa é uma informação valiosa na hora de fazer a programação da carga.

Alertas para desvio da temperatura padrão

As cargas perecíveis são aquelas passíveis de deterioração.

Por essa condição, necessitam de serviços especiais de transporte, com controle de temperatura.

Uma entrega chega mais perto da perfeição se o veículo contratado atender com rigor aos padrões exigidos para o transporte de carga refrigerada.

Incluindo rastreador instalado, sistema de controle de temperatura em perfeito funcionamento e monitoramento com alerta para qualquer tipo de desvio.

Anote aí! Essa etapa é o coração da gestão logística no transporte de refrigerados. A ABNT — TB-352 item 3.5.5 trata do tema do transporte de perecíveis.

Estão incluídos nesta categoria, segundo a ANVISA, produtos que estragam com facilidade, que precisam ser transportados sob temperatura específica ou que tenham um componente que precise de uma temperatura estável para não perder suas propriedades, como medicamentos e vacinas.

Sendo assim, temos uma variedade de mercadorias na lista de refrigerados, resfriados ou congelados.

Cada um com especificidades e temperaturas diferentes para o transporte. Veja:

  • ovos em casca ou processados;
  • crustáceos, moluscos e frutos-do-mar vivos, frescos ou congelados;
  • alimentos processados, congelados ou super congelados;
  • carnes, aves, peixes e derivados;
  • leite in natura ou derivados;
  • leveduras e fermentos;
  • gelo;
  • frutas, legumes e cogumelos frescos ou crus, processados ou não;
  • outros alimentos que necessitem de temperaturas estabelecidas por lei.

Respeito às normas de armazenamento da carga refrigerada

Você lembra que já falamos sobre a responsabilidade de atender aos padrões do transporte de perecíveis e entregar as mercadorias com qualidade?

Além de buscar eficiência e satisfação do cliente, as empresas têm normas que devem ser seguidas para o armazenamento, acondicionamento, controle das temperaturas e movimentação destas mercadorias.

Para cada tipo de produto, há uma temperatura a ser respeitada. Observe os parâmetros e as tolerâncias.

Já mencionamos como o controle e os alerta em caso de desvios e oscilações de temperatura durante o trajeto são fundamentais.

Em todo o processo logístico, os parâmetros de temperatura por tipo de produto precisam estar nas margens aceitáveis.

Ao transportar uma picanha, por exemplo, o congelamento faz com que a qualidade do produto diminua, causando um problema, esse item deve ser apenas refrigerado.

Já o peito de frango, é transportado de forma congelada, sem danos à qualidade.

Outras regras importantes não podem ser esquecidas!

Portanto, o objetivo do transporte frigorificado é garantir a qualidade e a integridade da mercadoria, sem que ocorra a deterioração ou contaminação dos produtos e sem riscos ao consumidor:

  • não transporte mercadorias refrigeradas junto com outras substâncias ou produtos que contaminem os alimentos;
  • os veículos para transporte frigorífico precisam estar identificados e ter o Certificado de Vistoria, expedido pela autoridade sanitária;
  • faça as manutenções veiculares preventivas, incluindo o sistema de resfriamento, manta térmica, sensores e outros itens;
  • não pode haver contato entre a área de acondicionamento da carga frigorífica e a cabine do motorista;
  • é necessário que os termômetros sejam calibrados e o acesso aos dados e leitura das informações, facilitado.
  • A NBR 14701, de 29 de junho de 2002, traz regras para o transporte de carga refrigerada no Brasil. Entre elas, a determinação de que o veículo seja ligado 15 minutos antes e sempre na temperatura ideal da mercadoria que será transportada.

Escolha bem seus fornecedores, que sejam íntegros e respeitem às normas de carga refrigerada para conseguir sucesso nas operações!

Ferramentas de controle de temperatura calibradas e ativas

Segundo a Anvisa, para que uma carga com controle térmico chegue em boas condições ao destino, ela não pode sofrer interferência externa.

Então como saber que está tudo bem com a mercadoria, que a temperatura está mantida e a umidade, controlada?

Com o uso de tecnologia e ferramentas de monitoramento ativas, calibradas e aferidas! A atenção a esses recursos evitará desperdícios na cadeia fria.

E tem mais. O acompanhamento das viagens pode ser feito remotamente, com total controle da refrigeração e proteção da carga frigorificada, sem que, para isso, seja necessário abrir a porta do baú.

Transportadores e embarcadores comprometidos com a qualidade de suas operações sabem que é possível acompanhar de forma inteligente e confiável os níveis de temperatura diretamente da cabine do caminhão ou mesmo a distância.

As próprias centrais de monitoramento têm condições de saber, por meio de alerta, quando há qualquer problema ou oscilação de temperatura inaceitável para os parâmetros preestabelecidos.

Lembre-se: o carregamento otimizado ajudará no processo.

  • As mercadorias que serão entregues por último são as primeiras a serem embarcadas.
  • Observe se nenhum produto está obstruindo as saídas de ar dos equipamentos de refrigeração. Isso bloqueia a circulação do ar resfriado no veículo.
  • É melhor ligar o sistema de resfriamento somente com as portas do caminhão fechadas, para evitar sobrecarga do aparelho.
  • Acomode as cargas de necessitam de temperatura mais alta na parte superior, deixando outras mais próximas do piso.

Quem investe em tecnologia e em ferramentas modernas para o monitoramento das temperaturas não paga caro.

Caro é ignorar esse detalhe e arcar com o peso do prejuízo no caixa e na imagem da empresa.

Calma! Resumindo, monitorar uma operação de carga refrigerada ajuda a aumentar a rentabilidade e a confiabilidade, um desejo constante de quem atua neste segmento.

Visibilidade em tempo real do transporte

Para encerrar, falaremos da última dica de hoje.

A dica de ouro é contar com ferramentas que organizam claramente todas as etapas do processo logístico da cadeia fria.

Contando com painéis de indicadores e dashboards gerenciais, é fácil reunir algumas das informações mais estratégicas para a gestão do segmento, entre elas o on-time de coleta e entrega, SLA de atendimento das transportadoras e as quebras de parâmetros de temperatura por transportadora.

Se você mantém visão sobre o transporte frigorificado, sabe em tempo real onde está o caminhão e a carga sem que seja necessário acessar um SAC para efetuar o tracking (rastreamento) da mercadoria.

A informação pode, inclusive, ser compartilhada com o seu cliente, que se planeja para receber a carga sem deixar o caminhão parado no pátio, pois, as cargas perecíveis têm prioridade.

Investir em soluções de visibilidade é também garantir a previsibilidade de ofensores, conte com um sistema que faça o disparo automático de alerta caso a temperatura esteja fora do padrão aceitável.

Com a carga monitorada just in time, toda informação pode ser aproveitada e o time de logística pode identificar com antecedência possíveis atrasos.

Assim, sua visão sobre a viagem será completa e suas decisões, cada vez mais estratégicas e assertivas.

Alta performance no transporte frigorificado, não é tão difícil quanto parece

Se você atua na logística e transporte da cadeia fria, sabe que são muitos os desafios no dia a dia, mas nossas dicas mostraram ser possível fazer o transporte mantendo o desempenho.

Juntos, entendemos a importância da gestão eficaz de rotas e paradas e como ela reduz o tempo de entrega.

Há normas e regras para o armazenamento e movimentação de carga frigorificada e a necessidade de ter ferramentas de controle de temperatura bem calibradas.

Falamos sobre alertas para os desvios da temperatura, os parâmetros aceitáveis e as vantagens da visibilidade em tempo real no transporte de cargas refrigeradas.

Ainda que garantir as condições ideais de refrigeração, congelamento ou resfriamento das mercadorias nas estradas brasileiras exija tantas medidas e cuidados, saiba que as soluções estão ao seu alcance.

Se você ficou interessado e quer saber mais sobre o assunto, confira o nosso post sobre visibilidade e controle de temperatura mais eficiente na gestão logística de cargas frigorificadas.

Até a próxima!

To top